Blog

SALÁRIOS E MERCADO DE TI – 2016

Aqui estão informações importantes, que dificilmente são encontradas em outros lugares, ainda mais de forma gratuita. Tudo para quem deseja entender o mercado e fazer um bom planejamento de carreira.

Há 20 anos, profissionais de informática eram escassos, um DBA Oracle, PJ, ganhava em 1997, cerca de R$ 14.400 reais por mês, valor que atualizado pelo IGMP daria hoje R$ 66.240. Este profissional recebe atualmente R$ 11.424, ou seja, seis vezes menos.
O mercado de TI cresceu, um grande número de pessoas foram atraídas pelos salários elevados e hoje a relação entre a oferta e a demanda pode até ter sido invertida. Salários elevados ainda existem, mas se antigamente a maior parte dos profissionais de TI era muito bem remunerada, hoje isto é privilégio apenas de um pequeno grupo, com alta qualificação.
A redução do número de jovens profissionais na área, pode fazer com que no futuro a relação entre oferta e demanda seja novamente invertida, voltando a ficar favorável aos profissionais.

Destaques:

  • A crise económica impactou o mercado de trabalho em TI.
  • Muitos cargos tiveram aumento salarial abaixo da inflação entre as pesquisas de 2014 e 2016.
  • Delphi, Java, SAP-ABAP, PHP estão entre as linguagens que proporcionaram bons aumentos salariais.
  • As áreas de teste e gerenciamento de projetos também estão em alta.
  • A participação feminina continua pequena, em cerca de 12%.
  • O envelhecimento continua acentuado.
  • A área esta menos atrativa para os mais jovens.
  •  idade média de quem trabalha com Cobol é de 41 anos.
  • O grau de escolaridade continua aumentando, mas a taxas menores.
  • O percentual de profissionais fluentes em inglês permanece estável.
  • 67% dos profissionais não possuem nenhuma certificação, este número esta estável desde 2010.
  • ITIL é a certificação mais popular, PMP e COBIT estão em alta.
  • 57% dos Analistas e Programadores trabalham com uma destas 3 linguagens : Java, C# e PHP.
  • 69% dos profissionais trabalham como CLT, apenas 7% preferem trabalhar como PJ.
  • 53% nunca tiveram empresa e 16% possuem empresa fechada ou inativa.
  • 8% trabalham como CLT-Flex e destes a maior parte recebe o dinheiro por fora por meio de benefícios.
  • Mesmo trabalhando como PJ, 36% recebem férias e 9% décimo terceiro.
  • O tempo de recolocação esta maior
  • Mais profissionais tiveram que reduzir o salário para obter uma nova colocação.
  • Houve uma redução no número de profissionais favoráveis a regulamentação.
  • Menos profissionais estão otimistas em relação aos próximos 5 anos.
  • Salários baixos continuam sendo o principal problema para 24% dos profissionais.
  • 67% gostam do que fazem e estão profissionalmente realizados trabalhando em TI.

Pesquisa feita pela internet de 28 Março a 28 Julho de 2016, pelo site www.apinfo.com.
24.587 participantes de todo o Brasil, com maior concentração nos estados do Sudeste e Sul.



Log In

Create an account